546053_10202170239550230_321855731_n

“Eu não sou de época alguma nem de lugar algum. Fora do tempo e do espaço, o meu Ser Espiritual vive a sua eterna existência, e, se mergulho no meu pensamento remontando o curso das idades, se estendo o meu espírito para um modo de existência afastado daquele que percebeis, tornei-me aquele que desejo. Participando conscientemente do Ser Absoluto, regulo a minha acção conforme o meio que me rodeia. O meu nome é o da minha função, e o escolho, assim como à minha função, porque sou livre; o meu país é aquele onde fixo momentaneamente meus passos. Datai-vos de ontem, se o quiserdes, realçando-vos com anos vividos por ancestrais que vos foram estranhos, ou de amanhã pelo orgulho de uma grandeza que não será, quiçá, nunca vossa. Eu sou, aquele que foi, que é, e que sempre será… Todos os homens são os meus irmãos; Todos os países são me caros… Como o vento Sul, como a brilhante luz do meio-dia que caracteriza o pleno conhecimento das coisas, e a comunhão activa com Deus, venho do Norte, para a bruma e o frio, abandonando por onde quer que passe algumas parcelas de mim mesmo, gastando-me, diminuindo-me em cada demora, mas deixando-vos um pouco de caridade, um pouco de calor, um pouco de força, até que eu esteja finalmente detido e fixado definitivamente ao termo da minha jornada, à hora em que a Rosa florescer sobre a Cruz.”

Conde de Cagliostro

Anúncios