parsifal

«Prefiro considerar a tomada de consciência pela cavalaria terrestre do seu estado de cavalaria celeste, mas o vosso ponto de partida exprime a mesma conjuntura de uma outra forma… Em todo o caso, esta união ou tomada de consciência, como preferirdes, é a aquisição do Graal, a participação na Ordem de Melquisedec. Neste nível, tudo fica consumado, e os múltiplos caminhos do conhecimento, mesmo os mais aparentemente opostos, reúnem-se. Todos conduzem a Melquisedec e ao mesmo Graal. Em última análise, o homem traz consigo todos os caminhos e aquele que ele escolhe é-lhe deixado à sua escolha e pode tomar o mais curto ou o mais longo, o mais sinuoso ou o mais directo. De qualquer forma, ele chegará ao fim, ou seja, ao fim de si mesmo, da sua tomada de consciência total, ao Graal. Ele já é da Ordem de Melquisedec, mas deve sê-lo conscientemente. As suas viagens na vida não têm outro objectivo senão o de conduzi-lo a esse estádio final.»

Raymond Bernard (19.V.1923 – 10.I.2006)

Anúncios